X
  • Categoria
  • Marcas
  • Faixas de Preço

14 produtos foram encontrados nesta categoria">
Ordenar por:
14 produtos foram encontrados nesta categoria">

Saiba Mais Sobre a Centrífuga para Laboratório.


A centrífuga para laboratório é um equipamento utilizado para a separação de fluidos, gás ou líquido, com base na densidade.

A separação ocorre ao girar um tubo ou frasco contendo material em alta velocidade; a força centrífuga empurra materiais mais pesados para fora do recipiente centrifugado.
 
A centrífuga pode ser encontrada na maioria dos laboratórios acadêmicos, clínicos e de pesquisa e é usado para purificar células, organelas subcelulares, vírus, proteínas e ácidos nucléicos.
 
Existem vários tipos de centrífugas, que podem ser classificados pelo uso pretendido ou pelo tipo de rotor. Desde a grande variedade de rotores e velocidades, há muitas variedades disponíveis para o pesquisador.
 

Modelos Mais Comuns de Centrífuga para Laboratório.


-Centrífugas de Bancada: são uma ampla classe de centrífugas caracterizadas por seu pequeno espaço em bancada. Dependendo da necessidade de pesquisa, uma variedade de aspectos diferentes pode ser considerada.
 
A velocidade máxima em RCFs pode variar de algumas centenas a mais de 50.000 x g. Os volumes dos tubos podem variar de menos de 1 mL (como nos tubos de PCR) a alguns litros. Diferentes tipos de rotores, como ângulo fixo, caçamba giratória e fluxo contínuo, também são normalmente intercambiáveis.
 
-Centrífugas de bancada refrigeradas: são instrumentos compactos ideais para a centrifugação de amostras que podem ser sensíveis à temperatura, como células vivas, animais ou proteínas.
 
Muitos modelos apresentam rotores e adaptadores intercambiáveis ??para acomodar uma ampla gama de volumes de amostra de menos de 1 mL a alguns litros.
 
As velocidades também podem variar e alguns modelos podem atingir até 60.000 x g. Conheça as diferentes centrífugas de bancada refrigeradas atualmente no mercado.
 
-Centrífugas de Bancada Clínica: são centrífugas compactas e de baixa velocidade, ideais para a separação de componentes do sangue total, como soro, plasma, leucocitose, glóbulos vermelhos e outros fluidos corporais.
 
Suas velocidades podem variar entre cerca de 200 rpm a 6.000 rpm. A maioria das centrífugas clínicas podem acomodar tubos de coleta de sangue comuns, mas certifique-se de verificar com cada fornecedor os tamanhos de tubo ou adaptadores de tubo específicos.
 
-Microcentrífugas: são instrumentos básicos em muitos laboratórios de pesquisa que geralmente acomodam pequenos volumes de tubos, como 2 mL, 1,5 mL, 0,5 mL e tubos de PCR.
 
Microcentrífugas para procedimentos laboratoriais de rotina normalmente giram em velocidades de até 16.000 x g, enquanto instrumentos mais especializados podem atingir velocidades de até 30.000 x g. Além disso, os fabricantes também podem oferecer rotores e adaptadores de tubo intercambiáveis.
 
-Centrífuga para Microhematócrito: esse modelo de centrífuga faz a leitura dos hematócritos coletados em amostras sanguíneas. Esse exame é responsável pela separação dos glóbulos vermelhos do resto do sangue, sendo assim útil para constatar diversas anormalidades no sangue.
 
-Centrífuga de Butirômetros: esse modelo de centrifuga funciona de forma semelhante aos anteriores, entretanto ele utiliza um tipo de tubo diferente, o butirômetro. Isso porque, ele segue o método de Gerber, em que se diz ser necessária a separação da gordura através destes tubos.
 
Graças a isso o modelo é utilizado prioritariamente para a análise do leite e medição da porcentagem da gordura presente.
 

Como funcionam os diferentes tipos de centrífugas?


Como mencionado, todos os tipos de centrífugas funcionam no princípio de sedimentação, onde a aceleração do rotor faz com que uma força centrípeta atue sobre o rotor e os tubos de centrífuga. Devido a essa ação, as substâncias mais densas nos tubos são forçadas para fora em uma direção circular, enquanto as partículas mais leves se movem em direção ao centro.
 
Às vezes, várias partículas grudam no fundo dos tubos de centrífuga. Essas partículas são chamadas de pellets e a solução transparente é conhecida como sobrenadante.
 
Normalmente, uma centrífuga é configurada para girar a um certo número de vezes por minuto (rpm) ou velocidade de rotação. No entanto, dois rotores podem ter a mesma velocidade de rotação, apesar de diâmetros diferentes.
 
A aceleração de tais rotores também será diferente devido aos raios e momentos angulares diferentes. O tamanho do rotor também tem impacto. É por isso que a Força Centrífuga Relativa (RCF) é a unidade padrão aceita.
 

Fornecedor de Centrífuga para Laboratório.


Neste artigo mostramos quais são os principais modelos de centrifuga para laboratório existentes além disso alguns modelos disponíveis em nosso catálogo.

Com isso queremos mostrar as diversas opções de centrífugas existentes para a separação correta das fases de uma amostra de forma rápida, eficiente e sem que sejam prejudicados os resultados finais do trabalho.
 
Se você deseja conhecer ainda mais nossos produtos para laboratórios e verificar todos nossos preços. Não deixe de acessar o site da Prolab.